Azul disponibilizará 1200 voos para o Sul do Brasil, Lages no empurra-empurra está fora

0
2611

Recebi uma matéria do blog do meu amigo jornalista Jefferson Severino, sobre a empresa Azul estar disponibilizando 1200 voos para o Sul do Brasil neste inverno. Sabem quantos para Lages, Princesa da Serra, ícone do Turismo Rural Nacional? Nenhum, isso mesmo NENHUM.

E Jefferson tem razão quando escreveu que, “os passageiros que optam em utilizar os voos da Azul Linhas Aéreas em Lages, não sabem se vão conseguir desembarcar ou embarcar no aeroporto do município. Isso porque o alardeado Aeroporto Antônio Correia Pinto de Macedo não funciona com voos por instrumento, ou seja, quando as condições climáticas impedem a visualização do piloto, os voos são cancelados e o pouso, geralmente transferido para Florianópolis. Como no inverno isso é normal na região serrana, os consumidores ficam em terra, literalmente”. Apesar que, no último domingo o avião pousou e levantou voo mesmo em condições precárias, as vezes não consigo entender.

Empurra-Empurra

 Segundo o que Jefferson apurou o jogo de empurra-empurra é fora do comum. O Cindacta alega que a empresa Infracea não cumpriu algumas exigências e não enviou todos os documentos. Entretanto, a empresa, que é a responsável pela administração do aeroporto, alega não saber o que falta, já que teria encaminhado tudo o que foi pedido. O Cindacta não esclarece, nem para a Infracea e nem para a imprensa.

2 Barômetros

 O diretor de operação do aeroporto, Klaus Klinger, frisa que dois barômetros estão prontos há 60 dias, pois já havia um e foi implantado outro para evitar problemas. “Não sabemos o que está acontecendo para não liberarem os voos, eles não explicam para nós o que falta”. Ele sugeriu ao prefeito Antonio Ceron, que marque uma reunião com o Cindacta para esclarecer o assunto. A função do barômetro é indicar ao piloto a altitude da pista em relação ao nível do mar. Assim, mesmo que ele não enxergue, pode calcular a distância até o solo e realizar o pouso com segurança.

Procurador da República

A pedido da comissão de voo regional da Associação Empresarial de Lages (Acil), o procurador da república, em Lages, Nazareno Wolff, enviou um documento ao Cindacta II, questionando o que está acontecendo para que os voos por instrumento em Lages não aconteçam. Jefferson ainda informou em seu blog, que o procurador enfatizou que o órgão possui 10 dias para responder, contando a partir do dia que recebeu o documento. Se caso, não responderem até o prazo, o procurador ressalta que o Ministério Público avaliará a necessidade de instalar um inquérito para investigar o que está acontecendo. E isso, poderá ser feito por meio de uma ação civil ou criminal.

Informações: http://turismoonline.net.br 

Foto: Divulgação

Compartilhar a matéria
TOPO PREFEITURA LOGO
facvest top

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here