Seminário de turismo discute as perspectivas e ideias para alavancar o setor na serra

0
802

“O turismo é fonte de felicidade e riqueza” com essa frase começou o Seminário “Perspectivas do Turismo na Serra Catarinense” que movimentou a Universidade do Planalto Catarinense (Uniplac) na manhã desta sexta-feira (13 de setembro). Organizado pela Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina (ALESC), através da Comissão de Turismo e Meio Ambiente, com proposta do presidente da Comissão, deputado estadual, Ivan Naatz.

O deputado Naatz vem fazendo alguns debates pelas regiões do estado de Santa Catarina, isso para incentivar as regiões a se desenvolverem no setor turístico.

Cadê os interessados?

Lages contou com algumas autoridades, mas infelizmente não vi nenhum representante e tão pouco os donos de restaurantes, bares, hotéis e pousadas que seriam os principais interessados em aprender. O seminário é justamente para discutir as melhores opções e aprender com quem entende.

Vigilância Sanitária

O deputado estadual, Ivan Naatz ressaltou um grande problema que atinge nossa região que são as normas da vigilância sanitária, e que muitas vezes acabam atrapalhando o desenvolvimento do setor, ele é a favor da Municipalização das normas da vigilância sanitária.

Chegou a destacar alguns casos que aconteceram com ele, como se hospedar em uma pousada rural em Lages onde a proprietária não podia fazer nada de sua criação e plantação para oferecer aos hospedes, como bolos, geleias e queijo para o café da manhã, porque as rígidas normas não permitem. “Perguntei a proprietária, porque não servia bolo, geleias caseiras, e a proprietária disse que infelizmente não podia, que eram as normas da vigilância, ou seja, o turista não quer vir  e ter uma experiência de turismo rural para comer bolo feito de caixinha, isso é inadmissível”.

Secretária de turismo e ex deputada de Portugal

Quem estava presente teve o privilégio de aprender com quem tem uma vasta experiência, a secretaria de turismo portuguesa Lilia Ana Águas, ex-deputada federal e integrante da diretoria da Associação da Rota da Bairrada, região produtora de vinhos de Portugal,  defendeu uma ação integradora entre as iniciativas públicas e privadas em favor do turismo, na Serra Catarinense.

Mostrou alguns caminhos para o sucesso com alguns cases que deram certo na região em Portugal, ela ainda destacou que temos que estar atentos para o que o turista quer, e que esse turista com mais de 60 anos, que ela chama de +60, está chegando bem na melhor idade, com tempo e dinheiro para gastar, sendo um excelente nicho de mercado, já que esse turista tem bom gosto para vinhos e paga bem por ele e pelas experiências.

Mas a grande sacada que os portugueses já descobriram é a promoção da região ser feita no coletivo, assim todos ganham, promover com feiras, festas, turismo religioso, pacotes casados com várias cidades. “ O Turista mesmo que a negócio, tem que ter opções de lazer, ele quer ter experiências e se isso vier com Glamour é melhor, além das vinícolas, mostrem o leite sendo tirado da vaca, coloquem o glamour e pronto, essa é uma opção que vocês têm e podem mostrar, pois quem mora na cidade jamais teve a oportunidade de ver, o turismo rural vende” destacou Lilia.

Prefeito Ceron destaca potencial turístico

O prefeito também falou para os presentes, destacou ainda alguns dos eventos e projetos que acontecem durante todo o ano em Lages que fomentam o turismo e consequentemente a economia da cidade.

Deu destaque para a revitalização do Centro e a reforma do Mercado Público, são duas obras que irão com toda certeza alavancar a economia lageana, e que devemos buscar diariamente maneiras de fazer do turismo uma atividade econômica sustentável.

Vinho, gastronomia e experiência

Aprendi no seminário, que devemos incentivar os brasileiros a consumir mais vinho, Portugal consome 54 litros por ano de vinho por pessoa, no Brasil o brasileiro consome 2 litros.

Estamos lutando para baixar o ICMS do combustível dos aviões, com isso aumenta as rotas regionais e com ela as estaduais e internacionais.

Conseguimos baixar o imposto sobre a comercialização do vinho, não é o tributo, mas já é um grande avanço para a comercialização e a competitividade do vinho catarinense.

Nosso vinho, nossa gastronomia e hospitalidade pode sim mostrar uma grande experiência aos turistas, mas segundo a portuguesa Lilia, temos que nos unir, acreditar e começar a executar todos os potenciais.

Compartilhar a matéria
TOPO PREFEITURA LOGO
BM3
facvest top
PREFEITURA TOPO 05-06

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here