FAKE NEWS! Não é verdade que a Prefeitura de São Joaquim adquiriu 2.5 mil toneladas de Sal

0
326

As informações que circularam e ainda circulam nas redes sociais, acerca de que a prefeitura de São Joaquim teria adquirido “2.5 mil” toneladas de Sal não são verdadeiras.

A informação correta é de que a prefeitura de São Joaquim,  se preveniu deixando de prontidão 50 sacos de 25 quilos que seriam espalhados nas rodovias com a ajuda da Polícia Rodoviária e também nas principais vias caso o fenômeno da Neve se concretizasse de forma acentuada como estavam prevendo a maioria dos modelos climáticos e amplamente divulgado pela mídia nacional.

O sal nem sequer saiu da agropecuária e o recurso nem sequer chegou a ser pago. Empenho foi cancelado!

A Nevasca não veio

Devido a todos os meteorologistas que se anteciparam em informar que seria uma nevasca histórica na região, a imprensa também informou em seus veículos de comunicação sobre a nevasca.

Enfim, a nevasca não veio com tanta força, salvo em algumas cidades da serra catarinense, mas a Prefeitura de São Joaquim fez certo em deixar reservado 50 sacos de sal, já que é muito usado em nossa região para descongelar estradas até mesmo em grandes geadas.

Baixas temperaturas e o sal

O cloreto de sódio, ou mais conhecido como o sal de cozinha é comumente utilizado pela Polícia Rodoviária da Serra Catarinense para descongelar a pista, princialmente na região da Serra do Rio do Rastro, na região do Snow Valley, Cruzeiro e Caminhos da Neve, não somente para descongelar uma possível nevasca, mas para conter qualquer formação de gelo em baixas temperaturas que costumam a ocorrer na região. Somente neste ano a polícia rodoviária do Mirante da Serra do Rio do Rastro informou ter utilizado cerca de 50 sacos de sal para evitar o congelamento na pista.

O engano

A prefeitura de São Joaquim concedeu uma entrevista para um jornal estadual , onde a repórter teve um equivoco na soma da dosagem das sacas de sal.

Além do mais, a quantidade de 50 sacos de 25 quilos (1,250 quilos e não 2,5 mil toneladas), adquirida ao valor de R$ 12,80 (doze reais e oitenta centavos) pela Defesa Civil nem sequer chegou a sair do armazém de estocagem da agropecuária, sendo que só seria utilizado o necessário preventivamente. Mas, como não chegou a ser utilizado, o valor total de R$ 640 (seiscentos reais) “nem chegou a sair dos cofres públicos”. O Empenho foi anulado e a empresa cancelou a nota fiscal da venda do sal.

Informações: São Joaquim OnLine

 

Compartilhar a matéria
TOPO PREFEITURA LOGO
facvest top

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here