Como o consumidor pode descobrir dívidas em seu nome

0
355

Uma parcela considerável das pessoas só descobre que está com restrições no CPF quando precisa de crédito ou está em algum tipo de análise cadastral, conta Thales Becker, CMO da Acordo Certo, fintech de soluções focada no bem-estar financeiro do consumidor. Outros até sabem que têm dívidas em atraso, mas não tem coragem de verificar por medo de encarar o valor atual ou mesmo de chamar a atenção das empresas de cobrança e acabar virando alvo de assédio telefônico. Dessa forma, acabam não sabendo que, muitas vezes, é mais fácil e barato quitar dívidas e por um fim no problema.

 “Surpresa”

Quando há falta de pagamento de um compromisso financeiro assumido, as empresas costumam incluir o nome do cliente nos cadastros de proteção de crédito a partir de 30 dias de atraso na dívida. Isso pode acontecer por diversos fatores, desde a falta de dinheiro até o esquecimento.

Uma pesquisa realizada pela Acordo Certo, no mês de agosto, sobre os impactos negativos da pandemia da Covid-19 na vida financeira dos brasileiros, mostrou que 82% das pessoas priorizaram o pagamento de algumas contas essenciais em detrimento de outras. Negociação de dívidas foram as contas que os consumidores mais deixaram de pagar, seguidas por cartão de crédito e conta de luz que aparecem na sequência.

Existem alguns tipos de dívidas que muitas vezes pegam o consumidor de surpresa, como as pendências residuais de contas correntes inativas e de mudanças de operadora de telefone, TV a cabo, internet ou serviço similar.

Como se livrar do problema

Descobrir e negociar é mais fácil, rápido e acessível do que se pensa. “Antigamente, o consumidor descobria uma dívida quando recebia uma ligação ou carta em casa. Ele então precisava ir até o escritório de um birô de crédito, pegar fila e sentar para negociar com alguém até chegar a um acordo”, lembra Becker. “Além do transtorno do deslocamento, isso trazia muito constrangimento às pessoas”.

Mas os tempos mudaram. “Hoje em dia, é possível consultar seu CPF, descobrir e negociar dívidas com descontos significativos e condições especiais de pagamento em poucos cliques, sem sair de casa”, completa Becker. No site da Acordo Certo, por exemplo, os descontos em dívidas negociadas chegam a 95% e em acordos com algumas das empresas parceiras, o consumidor pode receber até R$ 100 de cashback (dinheiro de volta).

Após cinco anos a dívida é perdoada?

Isso não é verdade. Na lei, existe o chamado prazo prescricional, que passa a contar a partir da data de inclusão do CPF do consumidor nos órgãos de proteção ao crédito. Caso a dívida não seja paga dentro desse tempo, o credor perde o direito de manter o aquele que deve em um cadastro de clientes inadimplentes. Porém a dívida não prescreve e a instituição credora ainda poderá entrar em contato solicitando o pagamento por quanto tempo julgar necessário, além de não oferecer mais crédito ao cliente inadimplente.

VCRP Brasil

Compartilhar a matéria
TOPO PREFEITURA LOGO
facvest top

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here